Astrologia

Astrólogo é o profissional que domina a arte da astrologia.

A astrologia é uma pseudociência que se baseia numa série de crenças de povos da antiguidade, que afirmavam que os astros influenciavam o destino das pessoas. Antigamente, esse profissional (astrólogo) apenas observava os objetos astronómicos, para então tirar suas conclusões, atualmente, ele lança mão de dados obtidos por astrónomos para realizar as suas pesquisas. O profissional da astrologia é responsável por interpretar dados astrológicos como: a relação trigonométrica dos astros entre si, a posição dos corpos em relação aos signos do zodíaco, ao horizonte (ascendente), ao zénite (ponto superior da esfera celeste) e ao nadir (ponto inferior da esfera celeste) e em relação a um dos sistemas de casas astrológicas, etc. Entretanto, existem diversos tipos de astrologia, como a astrologia ocidental, a chinesa, a védica, a cabalística, a natal e muitas outras. A principal atividade do astrólogo ainda é o mapa astral, ou natal, que é um relatório das posições aparente dos corpos em um determinado momento.

Ao observar os planetas, os astros e o céu, e interrogaram-se como eles podiam afetar a vida na Terra. Os estudiosos descobriram então o que é astrologia, e como era possível escrever mapas e determinar previsões que indicariam a personalidade das pessoas e, até mesmo, o futuro.

Influência do papel dos astros é levada a sério por muita gente.

Considerada uma linguagem, pode-se explicar o que é astrologia através de um conjunto de ideias e crenças que determina os destinos e os caminhos das vidas das pessoas.

Fundamentada numa ideologia que acredita que tudo no universo tem uma relação, essa ciência estuda como o movimento dos astros e suas posições podem gerar conhecimento sobre a história e o futuro de alguém.

Como para a astrologia tudo tem um propósito e uma razão para acontecer, o mapa astral – feito através da data, mês, ano, hora e local de nascimento – permite uma leitura geral sobre a vida das pessoas.

Na antiguidade, a partir de estudos de babilônios, egípcios, gregos e romanos, foram designadas 12 divisões no céu de acordo com pontos fixos e imagens de constelações.

Chamado de “grande cinturão celeste”, que marca a trajetória do Sol, as constelações pelas quais o astro rei passava simbolizariam um signo. São elas: Carneiro, Touro, Gémeos, Caranguejo, Leão, Virgem, Balança, Escorpião, Sagitário Capricórnio, Aquário e Peixes.

Os povos da antiguidade ainda definiram um perfil para cada signo, de acordo com especificidades das estações do ano e outras particularidades pessoais.

 

“Se não tivesse um apelo simbólico e racional profundo, a astrologia não seria tão forte”